INRI


   “O MANTRAM “INRI” ENCERRA UM TREMENDO SEGREDO, QUE NÃO POSSO DIVULGAR” – Matrimonio Perfeito de Kinder

   “...pois é a alegoria do bem, é símbolo do mais alto sacrifício (Cristo-Lúcifer) dos Gnósticos e é Deus da Sabedoria com infinitos nomes. Luz e Sombra, misteriosa simbiose do Logos Solar, unidade múltipla perfeita, INRI é Lúcifer” - As Três Montanhas

   “Temos de aprender a ver o Cristo não do ponto de vista meramente histórico, mas como o fogo, como uma realidade presente, como INRI” - O Despertar da Consciência

   Cristo-Lúcifer é o IO primordial, esta dualidade que enlaça a matéria e o espírito, Luz e Sombra. Compreendo que nesta altura já fica mais fácil compreender que INRI é este “Ignis Natura Renovatur Integran” (O Fogo renova incessantemente a natureza), é este fogo do qual tanto falamos que vem para nos purificar quando nesta vida humana.

   “O Fogo é INRI dos Cristãos, o Zen dos Japoneses, o Tao dos chineses, o Quetzacoatl dos Astecas, o Demiurgo dos gregos, o Júpiter dos romanos” - Cristo Social

   “Devemos liberar a Alma e ao Deus Prometeu, aquele que descreve a mitologia grega, atado à dura rocha e um abutre devorando seu ventre, assim temos nós a nosso Pai (bem amado) atado a rocha viva da matéria, incapacitado para manifestar-se” - As Três Montanhas

   Os Gnósticos conjuram em nome de Júpiter (Demiurgo, INRI, LÚCIFER), Pai de Todos os Deuses. Pai de Todos os Deuses, sim, pois tudo nasce do Sexo, e não pensemos o sexo como o ato carnal da cópula, podemos recordar que as nebulosas são a própria ação sexual universal atuando para criar sistemas, planetas, etc. É Lúcifer pois o Pai, ou não é assim? A Mãe Divina é sua esposa, e ela gesta Deuses. Posteriormente o Pai o instrui, lhe entrega a Sabedoria.

   “...agudo canto que é a essência da palavra perdida INRI...” - Magia Cristica Asteca

   “O Mistério do Cristo com uma só palavra que consta de quatro letras: INRI” – A Grande Rebelião

   Há que buscar a Palavra Perdida, o próprio mistério do Cristo se resume nisto. INRI é o Cristo, mas o Cristo completo, os dois Cristos, o de cima e o de baixo, por isto se dividem em duas sílabas, IN e RI.

   Na Cruz escrevem INRI exatamente porque na Cruz, quando daquela morte surgirá o INRI, que é a mescla do IN com o RI (Cristo Negro e o Cristo Branco).

   Recordemos que ele não é negro por sua maldade mas pela amplitude de sua manifestação. É como o Sol e as sombras que geram no mundo, isto não é questão de maldade mas de relações e regiões.

   “O Cristo Íntimo é «INRI», Fogo Devorador, Fogo Vivente” - Pistis Sophia Desvelada

   “Na Lemúria, antes da cópula química, em pleno Templo, o homem e a mulher passavam por brilhantes cerimônias místicas; se rendia culto ao divino, ao Grande Alaya do Universo, a isto que os chineses chamaram TAO, a isto que os gnósticos denominam o INRI, a isto que é o que sempre foi e o que sempre será.” – O Eterno Feminino

   Antes da cópula o homem tem que se fusionar com o Principio do Espírito Santo, e a Mulher com a Divina Mãe, para tanto, se utilizavam desde os antigos tempos às místicas cerimônias, onde o homem e a mulher se preparavam para ritualizar com o fogo, na nona esfera. Ou não é o Terceiro Logos que ordenado pelo Primeiro Logos fecunda a sua esposa, a matéria caótica?

   “Agora, creio que estão entendendo porque a nós interessa a assinatura astral do fogo, a chama da chama, o oculto, o aspecto esotérico do fogo. É que na realidade o fogo é crístico. Ele tem poder para transformar tudo o que é, tudo o que foi e tudo o que será. INRI é o que nos interessa. Sem INRI não é possível que nos cristifiquemos” – O Despertar da Consciência.

   “Temos de aprender a ver o Cristo não do ponto de vista meramente histórico, mas como o fogo, como uma realidade presente, como INRI” – O Despertar da Consciência

   Comentários exatos sobre a obra de Quetzacoatl: “...é necessário dizer de forma enfática e com total claridade, que Quetzalcoatl não é um mito. Indiscutivelmente Quetzalcoatl é o Verbo, a Grande Palavra, o Logos platônico, o Demiurgo Arquiteto do Universo, o Criador. Quando estudamos a Quetzalcoatl descobrimos nele o mesmo Drama Cósmico de Josua Ben Pandirá, de Jesus Cristo. Quetzacoatl, carregando a cruz nos recorda ao mártir do Calvário. Portanto, em realidade, Quetzalcoatl é o Logos, é o que é, o que sempre foi e o que sempre será. É a vida que palpita em cada átomo como palpita em cada sol... Quetzalcoatl é a Unidade Múltipla Perfeita, é o Cristo... Os Mistérios Sexuais foram ensinados por nosso Senhor Quetzalcoatl encarnado, realmente convertido em um homem vivo e não em um simples personagem histórico. O Cristo Cósmico, o Logos platônico, o Demiurgo grego, é a Unidade Múltipla Perfeita. Inquestionavelmente, o Logos platônico, é o Demiurgo grego, é a Unidade Múltipla Perfeita. Inquestionavelmente, Quetz

   alcoatl é o Cristo, é o INRI, que analisado, significa: Ignis Natura Renovatur Integram. É o fogo que renova incessantemente a natureza. O Fogo quetzalcotliano existe no fundo de toda unidade cósmica, que nasce, no fundo de todas as constelações, de todos os planetas, de todos os sóis. É por isto que Quetzalcoatl não pereceu e jamais perecerá, é por isto que ele existe muito antes do universo existir e seguirá existindo por toda a eternidade.”

   Percebemos que o Mestre se refere ao Cristo Intimo como Lúcifer, também percebemos que se refere ao Cristo Cósmico como Lúcifer, o INRI, este que a tudo purifica. É a unidade múltipla perfeita, o Logos, o Demiurgo, e sempre representa o mesmo drama, porém com diversos nomes.

   Podemos observar que a palavra IN-RI, assim como HAM-SAH, se decompõe em duas partes, e devem ser bem analisadas já que ali reside o Grande Mistério da Divindade.

   Se observarmos o IN, este tem relação com o Fogo, o Vinho, aspectos relacionados à mulher. Ignis Natura – O Fogo Renova / In Necis – Na Morte.

   Já o RI, é o aspecto positivo, relaciona-se com a Sabedoria, o Pão, relaciona-se com o homem.. Renovatur Integram – Incessantemente a Natureza / Renascor Integer - Intacto e Puro.

   O Fogo confere o Poder, e a Luz a sabedoria. O Fogo roubamos do Diabo quando da prática do Arcano AZF, já a sabedoria, lhe extraímos na vida, nos eventos. Se vamos observar os madeiros da Cruz, vemos que o Poder, o Fogo, tem relação com o falo Vertical, o que passa por detrás da coluna vertebral do Cristo, é pois certamente no cetro que reside o poder, no cajado, na vara, na Serpente.

   Com o Arcano nos fazemos Fortes, com as corretas decisões na Vida nos fazemos Sábios.

   “Na parte superior das grandes construções religiosas da idade media, com sua adição de uma cúpula semicircular ou elíptico soldado ao teto, vemos a forma do signo hierático egípcio da Cruz de Ansata, que se lê Ank, designa a vida universal oculta em todas as coisas. Por outro lado, o equivalente hermético do signo ANK é o emblema de Vênus, ou ciprina-lúcifer, o cobre, bronze ou latão.” - A Doutrina Secreta de Anahuac

   Pois este símbolo, Luciférico, é o que o Sacerdote faz toda vez que sobe o Altar, toda vez que vai trabalhar com a Pedra, o Sexo, sempre que vai a Nona Esfera buscar a espada, depositada na Pedra, o que faz dele um Rei, e posteriormente ordena os elementos, e até mesmo aos Logos.

   “Quetzalcoatl, ressurecto depois de haver branqueado o latão, se converte em luzeiro da manhã.” A Doutrina Secreta de Anahuac

   “Os Vinte e Quatro Anciãos conhecem muito bem a Alma Humana. Os Vinte e Quatro Anciãos sabem que o Cristo é o Fogo Central da Terra. Cristo é I.N.R.I., o Fogo Central da Terra e de qualquer Sol ou Galáxia. O Fogo Vivente ou Filosofal arde no núcleo de qualquer Unidade Cósmica.” Pistis Sophia Desvelada

   Como dizer aos Iniciados, como dizer então a Humanidade, a Grande Verdade? Como? Pois sabei agora, ou melhor, recordai, já que o que hoje é dito a muitos já foi dito em outras épocas, em outros tempos, Cristo é INRI, este fogo central da terra, este fogo central de qualquer Sol ou Galáxia, e este bem sabemos, é Lúcifer, o que doa a vida.



MDCLXV